promontório de sagres

museography, exhibition, environment
client
Direcção Regional de Cultura do Algarve
year
2012
credits
Emídio Cardeira
Miguel Palmeiro
with:
Catarina Providência
Francisco Providência
Gabriella Casella
Mário Vairinhos
Paulo Neves

Museographic Proposal for Sagres' Promontory Exhibition Centre, Algarve / 2nd place.
With a holistic approach, the exhibition wants to give an effective centrality to Sagres as a geographic space, humanized space, sacred space, symbolic space, converging into it experiences that are considered central to its history, doing it in a narrative that involves dynamics since the prehistory period (since it’s known that this region has had human occupation) to present ones.

It does it not only for confluence with the tender terms but also out of an epistemological conviction that points out to local and global articulations and to relevance and prominence of coastal spaces and communities – even of the small ones – in the process of globalization, namely trough the Portuguese maritime expansion.

The museography intended as an exercise of full handling of the exhibition, as an interactive and multimedia device for communicating concepts, divided by chained spaces of contents (theme-spaces), but centered around metaphorical objects (originals or replicas), that are scenographically framed by the evolving space.

The different ages and the different education levels of its public justified the creation of different levels of information. As a first level, a simple and fast tour was made, one capable of giving a global narrative in multiple languages.

But the exhibition would also have other communicational resources for a more profound communication relation with the visitor –  by subtitles or with ideographic captions displayed on integrated monitors. The sound effects wore also considered as a major factor for the dramatization of each space, in hand with the light choreography that shall at certain moments be a dynamic one.
Concurso de Concepção Limitado por Prévia Qualificação para o Centro Expositivo do Promontório de Sagres  / 2º Classificado. 


A exposição pretende de forma holística conferir uma efectiva centralidade a Sagres, enquanto espaço geográfico, espaço humanizado, espaço sagrado, espaço simbólico, fazendo nele confluir vivências consideradas centrais na construção histórica, numa narrativa que envolve dinâmicas que vão desde períodos pré-históricos, de reconhecida ocupação humana da região, até à actualidade.

Fá-lo, não por simples confluência com os termos de referência do concurso, mas por convicção epistemológica que aponta para as articulações entre o local e o global e para a importância e o protagonismo de espaços e de comunidades litorais, mesmo de pequena dimensão, na construção do processo de globalização, nomeadamente através da expansão marítima portuguesa.



Entende-se a museografia como exercício de tratamento global da exposição, enquanto dispositivo interactivo e multimedial de comunicação de conceitos, divididos por núcleos encadeados de conteúdos (espaços-tema), mas centrados em torno de objectos metáfora (originais ou réplicas), cenicamente enquadrados pelo ambiente plástico envolvente.



As diferentes condições etárias e formativas dos seus públicos justificam a produção de diferentes níveis de informação, oferecendo como primeiro nível uma visita rápida e simples, capaz de transmitir globalmente a sua narrativa em diversas línguas.

A exposição terá, no entanto, outros recursos de aprofundamento comunicacional com o visitante, através de legendas físicas ou ideográficas, transmitidas por monitores integrados.

Considera-se igualmente a sonoplastia um importante factor de dramatização de cada núcleo, a par da coreografia da luz que, em certos casos, deverá ser dinâmica.




© united by